slide 1

O que faz justiça aos oprimidos, o que dá pão aos famintos. O SENHOR solta os encarcerados. (Salmos 146:7)

slide 2

Orai sem cessar

slide 3

E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra. (Apocalipse 22:12)

Slide 4

Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. (João 4:23)

slide 5

"JESUS TE AMA, VOCÊ É MUITO IMPORTANTE PARA DEUS"

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Confessar pecados a líderes não é mandamento, faça-o se desejar

Amados, tenho visto um grande erro em muitas igrejas evangélicas – A de confessar pecados a pastores e lideres de igrejas para que então eles possam ser ajudados e restaurados.
ISTO NÃO EXISTE!!! É PRÁTICA ERRÔNEA E ANTI-BÍBLICA O FEITO DE UM PASTOR TORNAR O ATO DE CONFESSAR PECADOS AS LÍDERES DA IGREJA UMA DOUTRINA OU REGULAMENTO PARA MEMBROS E OBREIROS.
A CONFISSÃO DE PECADOS DEVE SER FEITA ÚNICA E EXCLUSIVAMENTE A DEUS POR MEIO DE JESUS, POIS SÓ ELE EM SUA MISERICÓRDIA PODE INFINITA PODERÁ PERDOAR. CONFESSAR O PECADO A HOMEM (SER HUMANO) PODE SER FEITO – SE – QUANDO TAL PESSOA DESEJAR FAZÊ-LO DE LIVRE E ESPONTÂNEA VONTADE E NÃO COMO UM MANDAMENTO PARA SER RESTAURADO.
Quando alguns ministérios e pastores assumem este costume de que seus membros devem confessarem seus pecados a seus (líderes), eles geralmente se apoiam na seguinte passagem bíblica – lógico que fora de contexto próprio.
E a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados. Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos. TIAGO 5:15-16
Quando a carta de Tiago fala em “Confessai as vossas culpas (pecados) uns aos outros” isso não é um mandamento e sim uma instrução como apoio para que a cura FÍSICA  seja manifestada.
E quando  se usa o termo  CONFESSAR em português, confessar na verdade tirada do texto original em Grego nesse texto que dizer; (EXPRESSAR, COMUNICAR, ABRIR-SE) com seu irmão para que esse, sabendo do seu problema, possa lhe ajudar em oração. Veja que no contexto próprio a instrução de confesssar na verdade quer dizer expressar e abrir-se, ou seja contar seu pecado à alguém para que tal irmão(a) possa se sentir menos pesado com o pecado e receba um apoio, conforto e força em oração.
ESSE TEXTO NÃO FOI DADO COMO UM MANDAMENTO OU DOUTRINA DO NOVO TESTAMENTO PARA QUE HOJE LíDERES EXIGISSEM QUE PECADOS LHES FOSSEM CONFESSADOS. ESSE TEXTO DEIXA A CRITÉRIO DO CRISTÃO A LIVRE ESCOLHA DE CONFESSAR (PEDIR AJUDA) A UM IRMÃO QUANDO PECAR.
O versículo 15 mostra claramente que é a oração de fé feita a Deus que salvará e trará perdão ao Homem. JUSTO é todo aquele que crê em Jesus, pois Ele é quem justifica. Falo isso para que você que tem a fê em Cristo, saiba que é Jesus o faz  Justo  diante de Deus pela sua fé no sangue de Cristo mediante.
Quando um pastor ou ministério  explica este texto desta maneira, ou seja, quando ele deixa a critério da igreja  a opção de confessar seus pecados aos líderes somente se ele quiser pedir ajuda em oraçao ou conselho, isto estará perfeito.
O problema está quando tais lideres usam tal texto para coagir as pessoas a confessarem seus pecados ao liderato como se fosse a única maneira que eles (pecadores) pudessem receber a restauração. ISSO É ERRO.
>>> Olha o que a Palavra de Deus diz sobre o ato de confessar pecados entre meio 3 referências bíblicas do Novo Testamento:
“Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem” – 1 TIMÓTEO 2:5
De tanto melhor aliança Jesus foi feito fiador.
E, na verdade, aqueles foram feitos sacerdotes em grande número, porque pela morte foram impedidos de permanecer,
Mas este, porque permanece eternamente, tem um sacerdócio perpétuo.
Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles.
Porque nos convinha tal sumo sacerdote, santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores, e feito mais sublime do que os céus;
Que não necessitasse, como os sumos sacerdotes, de oferecer cada dia sacrifícios, primeiramente por seus próprios pecados, e depois pelos do povo; porque isto fez ele, uma vez, oferecendo-se a si mesmo.
Porque a lei constitui sumos sacerdotes a homens fracos, mas a palavra do juramento, que veio depois da lei, constitui ao Filho, perfeito para sempre. HEBREUS 7: 22-28 
Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós.
Se confessarmos os nossos pecados, ELE (JESUS CRISTO –NÃO HOMENS) é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça. 1 JOÃO 1:8-9 

Amado(a), Pecado se confessa a Deus e a Deus somente. Você não tem que confessar seu pecado a igreja nem a homem nenhum se você não quiser. Os 3 textos acima mostram isto claramente. Jesus é o último e único sacerdote que pode interceder e intermediar entre nós e Deus. Nenhum sacerdote humano tem poder para perdoar. A Igreja que assume tal prática, pratica exatamente o que os padres católicos fazem ao aceitarem as confissões de seus fiéis. Estes se colocam no lugar de Jesus para liberar sentenças ou absolvições de pecados, e isto é perigoso.
Na verdade muitas igrejas querem que isso aconteça para que tais lideres possam manipular as vidas cativas de seus membros. Há igrejas fortes no Brasil que assumem esta prática constantemente porém isto é um erro se for colocado como regulamento ou doutrina da igreja. 
EXCESSÃO: TRATE DO TEU PECADO COM LÍDERES E  TODA A IGREJA SOMENTE SE TEU PECADO TIVER TRAZIDO ESCANDÂLO À IGREJA E À COMUNIDADE. MAS SE FOR ALGO ENTRE VOCÊ E DEUS, OU VOCÊ E OUTRA PESSOA NÃO E NECESSÁRIO. O QUE PODE SER FEITO É BUSCAR UMA INTERMEDIAÇÃO PASTORAL PARA QUE ELE POSSA CONCILIAR E FACILITAR UM ENCONTRO ENTRE AS PARTES OFENDIDAS POR TEU PECADO. FORA DISTO SOMENTE CONFESSE A OUTROS O TEU PECADO SE FOR DE TUA DECISÃO ESPONTÂNEA SABENDO QUE O QUE LHE PERDOARÁ VERDADEIRAMENTE É DEUS.
Outro conselho prático. O problema de confessar seus pecados a homens é que nem todos tem a capacidade e sabedoria para tratarem com seus problemas ou pecados. Se quem você escolher for uma pessoa ungida, esclarecida e de boa relação com a palavra de Deus então até poderia ser útil e benção em sua vida. Mas é necessário escolher muito bem a quem contar na igreja pois isso poderá gerar acusações da parte deles contra você e outras até comentariam na igreja com outros santos sobre o teu problema.
O mais sábio é : Se confessarmos os nossos pecados, ELE (JESUS CRISTO –NÃO HOMENS) é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça. 1 JOÃO 1:8-9. Se pecar seja rápido para arrepender e confesse-o a Jesus diretamente e peça o perdão. Depois de pedir creia que Ele foi fiel e justo para lhe perdoar. Levante sua cabeça e siga adiante como se aquilo não tivesse existido.
JESUS É QUEM PAGOU O PREÇO POR TUA VIDA.. SOMENTE ELE PODE PERDOAR.. SÓ ELE PODERÁ CONDENAR.. NÃO ACEITE ACUSAÇÃO HUMANA E NEM DA SUA MENTE DEPOIS DE HAVER PEDIDO PERDÃO E RESTITUIÇÃO PELO SEU PECADO (se cabiível). PORÉM SE PECAR SEJA HUMILDE PARA RECONHECER, PEDIR PERDÃO E ABANDONAR OU AO MENOS LUTAR PARA ABANDONAR O PECADO.
PAZ DO SENHOR
PR. WANDERSON DA SILVA   

Sexo anal e oral é pecado? O que diz a bíblia? As dúvidas que todos tem.


Quando a questão é Casamento ou Relacionamento Cristão, nada é fácil, por que estamos falando de duas pessoas que espiritualmente são 2, com pensamentos e atitudes diferentes.
Estive lendo muito sobre o assunto e pensei em escrever, mas encontrei as respostas, que estariam na ponta da minha língua e deixo-vos abaixo, com prazer.

SEXO ANAL E SEXO ORAL É PECADO? O QUE DIZ A BIBLIA?… AS DÚVIDAS QUE TODOS TÊM.

As perguntas que geralmente eu recebo de 99% dos cristãos que atendo on-line e off-line são:

“Pastor SEXO ANAL no casamento é pecado?”;
“E SEXO ORAL podemos praticar?”;
“Posso prática qualquer posição sexual?”.

ANTES DE PROSEGUIR: Quero deixar bem claro aos amados irmãos em Cristo que, como pastor pentecostal, jamais serei a favor de liberalismos e libertinagens que existem no meio dos que se dizem evangélicos, mas que vivem fazendo o que querem. Estes não têm compromisso com a Seara, e com suas rebeldias desenfreadas, vivem em trevas, sem o conhecimento de Deus. CONTUDO LUTO PELO O QUE É BIBLICO E NÃO DOUTRINA DE HOMEM.

Amados, como eu já disse em estudos anteriores o que mais há no meio evangélico é a falta de informação. Isto tem destruído o povo de Deus em todas as frentes; Nas finanças, nas famílias, na saúde, na vida espiritual, emocional e por fim, na vida sexual.

Tristemente, pesquisas mostram que a vida sexual cristã para a maioria dos casais é uma vida privada de prazer e frustrada por pelo menos 1 dos cônjuges em todos os casos analisado. O índice de crises conjugais e divórcios por insatisfação sexual tem sido alarmante entre os evangélicos. E não é pelo pecado que esta aumentando nesses últimos dias que isso tem acontecido. Essa mudança é fruto de que antes as mulheres eram tratadas como objetos domésticos em sua maioria e hoje isso mudou.
CONTUDO É A VONTADE DE DEUS QUE O HOMEM DESFRUTE O SEXO SEMPRE, SEM CULPA E SEM ECONOMIA (se é que me entendem). 

Veja o que Deus falou abertamente através do apostolo Paulo:
“O marido cumpra o seu dever {SATISFAÇA SEXUALMENTE} para com a sua esposa e da mesma forma também a esposa o cumpra {SATISFAÇA SEXUALMENTE} para com o marido.”
“A mulher não pode dispor de seu corpo: ele pertence ao seu marido. E da mesma forma o marido não pode dispor do seu corpo: ele pertence à sua esposa.”

“Não vos recuseis um ao outro {NÃO SE PRIVEM DE FAZEREM SEXO}, a não ser de comum acordo, por algum tempo, para vos aplicardes à oração; e depois retornai {A FAZER SEXO} novamente um para o outro, para que não vos tente Satanás por vossa incontinência {DESEJOS SEXUAIS}.”– 1CO. 7: 3-5

PORQUE O SEXO É CAPAZ DE SATISFAZER O HOMEM EM CORPO (físico), ALMA (emocional), e ESPIRITUALMENTE?

O ato sexual produz uma verdadeira revolução em nosso organismo:
O desejo libera hormônios sexuais (estrogênios na mulher e testosterona no homem) e adrenalina. A circulação sanguínea aumenta e a região genital se preenche de sangue e se dilata (na mulher a vagina incha e no homem seu membro fica ereto). Quando a excitação vai crescendo a endorfina (responsável da sensação de prazer) entra em ação, alcançando o nível máximo no orgasmo. Na mulher durante o clímax também é liberado a ocitocina, responsável da contração do útero. Neste momento de máximo auge as células nervosas do cérebro descarregam seu conteúdo elétrico provocando, no momento que passe, o relaxamento físico total.

Impressionante, não? Pois este ir e vir de hormônios e de fluxo sanguíneo faz que o corpo reaja positivamente a tudo. A ENDORFINA LIBERADA NO MOMENTO SEXUAL DIZ AO TEU CORPO QUE TUDO ESTÁ BEM CONTIGO, se seu corpo fica bem, sua alma (emoções, intelecto, vontades) ficam bem e se corpo e alma estão bem o seu espírito naturalmente estará em paz. POR ISSO SEXO FOI PLANEJADO POR DEUS PARA O HOMEM, PARA HARMONIA E BEM ESTAR EM TODAS AS ÁREAS. UM CASAMENTO SEM SEXO NÃO SOBREVIVE.

Trabalhando com Terapia Sexual Cristã quando eu penso que já vi e ouvi de tudo eu me surpreendo. Mas se tem algo que tem matado o povo de Deus é a incompatibilidade sexual em todas as idades do casamento. Quantas barreiras e falta de bom senso eu escuto. Há casos onde se negam ao sexo por questões fúteis, outros por discussões onde um quer sexo oral e outro não porque pensam que é pecado, outros porque querem forçar a esposa a praticas que ela julga errado e estes não sabem respeita-las ou ajuda-las.

O que esta acontecendo com o povo de Deus? O que as igrejas nunca mostram e até evitam tocar no assunto por tabus, ignorância e hipocrisia é que 86% dos divórcios entre evangélicos estão ligados à disfunção e incompatibilidade sexual. Uma vida matrimonial frustrada no sexo é a ponta da chama para todos os outros desentendimentos. 
INFORME-SE PARA QUE O SEU CASAMENTO NÃO VENHA SER VÍTIMA.

SEXO ORAL NÃO É PECADO!!!
SEXO ORAL NÃO É PECADO!!! 

Como eu falei extensamente em um outro artigo sobre o sexo oral – o qual não é pecado nem tem base bíblica para afirmar tal aqueles que assim o fazem – eu dedicarei este espaço aqui para falar do sexo anal e posições sexuais. Se você desejar ler o estudo completo onde explico porque o sexo oral não é pecado copie e cole o seguinte endereço-link (www.terapiasexualcristao.wordpress.com).

SEXO ANAL? TEM BASE BIBLICA? É OU NÃO PECADO?

Sim, O SEXO ANAL entre homossexuais é obviamente PECADO, isso ninguém discute! Contudo o que confunde a muitos evangélicos é o fato de que com um pouco mais de sabedoria e interpretação eles conseguem entender que o texto usado sendo usado em todos estes anos para declarar o sexo anal entre casais hetero como pecado esta fora de contexto.

“Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza.”

“E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro.” – ROMANOS 1:26-27

Não se necessita de um teólogo ou experto em bíblia para entender que o texto da escritura acima se refere ao sexo anal entre homossexuais. Isto é condenável pela palavra desde os dias de Sodoma e Gomorra.

** Mas então como explicar o porquê de que SEXO ANAL ENTRE CASAIS HETEROSSEXUAIS é pecado?

Muitos alegam dizendo que é luxuria, imoralidade sexual, isso ou aquilo. Contudo quando se analisa ao fundo tais sugestões elas perdem sua credibilidade uma vez que analisadas dentro de seus contextos próprios não poderiam estar se referindo diretamente ao sexo anal entre casais.

Amados eu cheguei à conclusão que o sexo anal definitivamente é pecado entre casais heterossexuais por um único motivo bíblico. Antes então eu dizia que o sexo anal era pecado para acompanhar o “achismo” evangélico que corre solto por ai… (porque eu acho que isto ou aquilo é certo eu farei disto uma doutrina= ACHISMO). Porém eu sabia lá no fundo que faltava um contexto bíblico validado para justificar o “achismo – sem base bíblica do povo”.

Hoje encontrei o que faltava e agora sim com a bíblia eu posso argumentar no contexto próprio o porquê que o sexo anal entre casais é pecado. Olha o argumento que eu considerei.

*Trecho extraído de um artigo na internet – Autor desconhecido*
{As pessoas que fazem sexo anal com freqüência, tal como os homossexuais, travestis, prostitutas e mulheres que são forçadas a tal prática ficam com o esfíncter anal sem a sua tonicidade própria, tornando-se hipotônicos, em função do que, são obrigadas a usar absorvente todos os dias do mês, porque qualquer flato suja-lhes a cueca ou a calcinha. Assim sendo, homossexuais e algumas mulheres usam absorventes sobre o ânus para evitarem que a cueca ou calcinha fique suja de fezes, porque o ânus perde a sua tonalidade. Isso é antifisiológico, até porque as fezes estão cheias de coliformes (germes gram-negativos) que no aparelho intestinal existem normalmente, mas que no aparelho urinário provocam infecções.}

Quando eu li isto eu me dei conta do problema de saúde que causa o sexo anal, pois em poucas e simples palavras, o que está dizendo o texto acima é que o praticante do sexo anal danificará a elasticidade do ânus chegando ao ponto de não mais reter nem as fezes quando algum gás for liberado.

Ao ler esse comentário que nem tratava na questão do pecado, eu associei isto à mesma relação do cigarro. 

Por que o cigarro é pecado se a bíblia não fala nisso? 

Bom, quando eu ainda era jovem eu entendi o que muitos não vêem: 

FUMAR É PECADO PORQUE DESTRÓI O CORPO, E TODO AQUELE QUE DESTRUIR O CORPO, O QUAL É O TEMPLO DO ESPIRITO SANTO, TAMBÉM SERÁ DESTRUIDO POR DEUS.
“Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?”
“Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo.” – 1 CO 3: 16-17

Sendo assim o sexo anal entre casais hétero se torna pecado porque isto causa dano ao corpo físico, o qual é o templo de Deus. Assim como a bíblia não fala que fumar é pecado, mas se torna pecado em luz de que é uma arma mortal para a saúde, igualmente é o sexo anal, que prejudica o canal do ânus e afeta a saúde, sem contar os perigos de contaminações pelos coliformes e outras bactérias, destruindo o templo do Espírito Santo (corpo).

O risco de contaminação para a mulher ainda é maior, pois comumente o homem retira o pênis do ânus (cheio de coliformes e bactérias nocivas) e o introduz na vagina, transportando germes infecciosos do ânus para a vagina, a qual não tem os microorganismos em si para combater tais germes. Em outras palavras o ânus não foi desenhado por Deus para a introdução do pênis.

Esse argumento é suficiente para chegar à conclusão de que sexo anal é pecado.

MEU MARIDO INSISTE MAS EU NÃO QUERO…
Um conselho aos casais e ou maridos que gostam do sexo anal. Muitas são as reclamações nessa área – incompreensão e falta de domínio próprio para aceitar aquilo que não pode mudar, ganhar, fazer ou obter no momento.

A hipocrisia falaria de cara: “Não faça isso (sexo anal) – é pecado! Você vai para o inferno seu (sua) imoral…”. CONTUDO o que eu digo é o seguinte: quem sou eu para acusar se vosso coração e consciência não te acusam.

PORÉM RESSALTO AOS MARIDOS: Muitas são as esposas que se queixam comigo quando os maridos as querem forçar ao sexo anal. NÃO FAÇA ISSO! Além de estar pecando, você esta desrespeitando o direito dela de dizer não. Quanto mais você força mais distante e fria no sexo ela ficará. Nada forçado deve ser praticado.

Mesmo O SEXO ORAL QUE NÃO É PECADO, deve ser respeitado se um dos cônjuges não estiver cômodo para fazê-lo. Há mulheres que por haverem recebido ensinamentos errôneos quanto ao sexo, ou por algum trauma do passado, se sentem culpadas ao praticarem sexo oral. Se este for o seu caso conversar e esclarece-la de que isto não é pecado seria uma opção. Terapia seria outra. Contudo nunca force uma mulher a fazer aquilo que ela não se sinta cômoda.

QUANTO AS POSIÇÕES SEXUAIS?

Vocês podem ate não acreditarem, mas há igrejas que querem ditar regras de santidade onde não existe e chegam ao cúmulo de ditarem como doutrina bíblica aquilo que de Deus passou longe (heresia), como dizer que posição sexual você deveria ou não praticar.

Imagine, ainda encontramos pessoas que foram criadas em certas igrejas onde se ensinava que era pecado ver o cônjuge nu, quando a própria bíblia no livro de cantares declara a paixão e admiração dos corpos entre um casal. Leia com os olhos abertos e você verá como aquele livro nos ensina a explorar os corpos e celebrar o matrimonio no leito.

Há relatos absurdos e reais que casais ainda hoje transam somente se usarem um lençol branco com um furo no rumo dos genitais para prática da posição papai e mamãe. ISSO ME CAUSA REVOLTA!!! PORQUE FATOS COMO ESSES TÊM CAUSADO DIVÓRCIOS E CONFLITOS ENTRE CASAIS… PASSARAM UMA VIDA SEM CONHECER O PRAZER QUE DEUS DEIXOU NO SEXO POR CULPAS E CONCEITOS HUMANOS.

Não amados, não há regras para posições sexuais. Sendo entre você e seu cônjuge sem escândalos você tem a liberdade para experimentar qualquer posição, qualquer roupa, fantasia, ate vestir-se de coelhinha ou Batman se isso é o que te excitará. 
Na cozinha, na sala, no chão, não importa o lugar nem a hora, Deus comanda que o faça sem se privarem. NÃO HÁ O LIMITE EM QUANTAS VEZES VOCÊ DEVE OU NÃO DEVE FAZER, enquanto há acordo e disposição entre os dois faça-o (1 CO 7:5).

NÃO HÁ REGRAS, NEM CULPA, NEM INSTRUÇÃO BÍBLICA QUANTO A POSIÇÃO SEXUAL OU O QUE SE PODE VESTIR, OU ONDE SE PODE OU NÃO TOCAR. NÃO ACEITE HOMENS QUE POR HAVEREM APRENDIDO CONCEITOS ERRADOS DITEM SUA VIDA SEXUAL. 

Contudo não quero dizer com isso que o homem ou mulher deve se entregar somente ao sexo e virar algo como uma compulsão sem domínio ou controle, caindo na libertinagem.

“A mulher não pode dispor de seu corpo: ele pertence ao seu marido. E da mesma forma o marido não pode dispor do seu corpo: ele pertence à sua esposa.” 1 C0 7:4

Desfrute a esposa da sua mocidade… Explorem os corpos com amor, respeito, pureza, carinhos… Santidade está no teu coração, na tua comunhão com Deus… 

No sexo o casal é um sem limites e sem regras. Se houvesse tanta limitação como alguns homens e mulheres de Deus colocam, você não crê que Deus teria tomado alguns capítulos da bíblia para falar explicitamente deste tema como regra de conduta e fé da vida cristã?

Não amados, o que vejo e um longo período de ignorância que destruiu e ainda destrói a felicidade de muitos casais por ensinarem a eles que tudo no sexo é pecado. Por que você acredita que poucos pastores se atrevem a falar disto? Como poderiam eles explicarem biblicamente aquilo que eles aprenderam sem questionar se estava certo. Hoje não tem base para provar o que ensinam e ficam no erro.

ABRA OS TEUS OLHOS E VIVA SEM OS JULGOS IMPOSTOS POR DOUTRINAS HUMANAS.

Lógico que para os falsos moralistas encontrados em todas as igrejas isso seria demais. Pastores que como eu, falamos as coisas como são e aberta ao povo de Deus somos ate taxados carnais. Pois bem, aqui você tem a opção de viver segundo os rudimentos e conceitos humanos, errôneos, de pouca informação e conhecimento bíblico ou buscar base bíblica para aquilo que a ti te pregam. Não tome minha palavra. Leia a bíblia e peça ao Espírito Santo que te guie.

Assim como a igreja católica que por séculos controlou e manipulou muita informação dos fieis, assim são muitos dos que compõem os cleros evangélicos. Mas hoje eu fico feliz de que a luz finalmente esta chegando e muitos já estão mudando e assumindo que por anos fizeram coisas e guardaram certos costumes que agora percebem haverem sido em vão, quando de Deus não tinha nada e tudo era do homem.

Este é o caso das Assembléias de Deus (da qual eu também sou pastor) que hoje reconhecem que por anos disciplinavam e excluíam pessoas por corte de cabelo, questões de roupa e etc. Mesmo que a ordem de mudança no código de conduta da Assembléia tenha partido da convenção nacional, muitos pastores presos à ignorância resistem em reconhecer que por essas coisas não se pode excluir ninguém preceitos estes que não passam de costumes locais (doutrina do homem) e não doutrina de Deus.

Autor: Pastor Wanderson da Silva – Assembléia de Deus / Suíça e Brasil

9 conselhos para ter uma vida espiritual saudável


“Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio” (Gl 5.22-23).

O Espírito Santo é prático, ajuda-nos a viver um discipulado ativo e é a força que faz nosso conhecimento espiritual se expressar em obras concretas. Ele nos transforma no caráter de Cristo, de quem está escrito: “Escrevi o primeiro livro, ó Teófilo, relatando todas as coisas que Jesus começou a fazer e a ensinar” (At 1.1). O Senhor Jesus foi, sem dúvida, o maior e mais influente Mestre que já existiu. Seu ensino consistia em primeiro fazer e depois falar,transmitindo oralmente sua lição:
“...Jesus começou a fazer e a ensinar”. Isso impressionava os ouvintes e não ficava sem resultados. Não é um perigo constante para nós saber tanto da Bíblia sem apresentar resultados e sem transformar esse conhecimento em atitudes? Muitas vezes sabemos o que é certo mas não o fazemos. Nossos vizinhos, colegas de trabalho ou estudo, nossos parentes ou nossos filhos olham para nós, vêem o que fazemos e ouvem o que dizemos. Será que as palavras que pronunciamos sublinham o que fazemos, ou nossos atos gritam tão alto que ninguém quer ouvir o que temos a dizer?

Como o fruto do Espírito em Gálatas 5.22 tem nove facetas, Provérbios 3 é uma unidade, mas nos apresenta nove regras bem práticas para nossa conduta cristã.

1. Confie em Deus

“Confia no Senhor de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento” (Pv 3.5). As pessoas ao nosso redor vêem em nós alguém que confia em Deus? Alguém que fala com o Senhor em oração e que lança sobre Ele todos os seus fardos e problemas? Alguém que, como Jó, José ou Daniel, sabe aceitar as situações de crise com atitude de confiança, que não desanima e não deixa sua fé vacilar? Viver uma vida confiante e provar que realmente se confia em Deus causa uma impressão muito mais profunda do que apenas falar em confiança e esperar essa postura dos outros.

"Confia no Senhor de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento” (Pv 3.5).

A razão desempenha um papel importante na vida espiritual e não deveria ser desligada. Às vezes, porém, ela pode interpor-se no caminho se não estiver sob o domínio do Espírito de Jesus. “E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus” (Fp 4.7). “...levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo” (2 Co 10.5).

Duvidar do que Deus faz e questionar Sua Palavra não ajudam em nada nosso avanço na fé. Somente quem confia e crê que Deus sabe o que faz e que Ele sempre faz tudo da maneira correta manterá a paz do Senhor em seu coração. O Espírito Santo quer nos assistir na hora de colocar em prática essa confiança irrestrita em Deus.

Alguém disse: “Coisas que nos confundem, situações para as quais não temos nenhuma solução têm um alvo bem definido: são parte do quebra-cabeça da nossa vida. Deus sabe onde se encaixa cada peça. Obviamente gostaríamos de ver o jogo acabado, mas enquanto vivermos ele não estará terminado. É por isso que entendemos tão pouco a Deus. Parece que todos os dias olhamos para o que Suas mãos estão fazendo, mas vemos apenas as partes que Ele move, uma vez que aqui na terra jamais veremos o quebra-cabeça finalizado”. Isso exige confiança!

2. Estabeleça prioridades espirituais

“Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas” (Pv 3.6). A palavra “reconhecer” significa que devemos colocar o Senhor acima de tudo, no sentido de: “pense em Deus em tudo o que você fizer”, “deixe que o Senhor sempre seja a motivação para tudo o que você faz”, “busque em primeiro lugar o reino de Deus”. Se buscamos a vontade de Deus em tudo o que fizermos, o Senhor nos permitirá reconhecer Sua direção, ainda que não de imediato.

Em que áreas de nossa vida não queremos ou não deixamos que Deus interfira ou dê Sua opinião? Geralmente essas são as áreas que nos causam os maiores problemas. Se envolvermos o Senhor Jesus em tudo o que fizermos, Ele nos conduzirá de forma a que Sua vontade seja feita, e certamente não sairemos prejudicados em nada.

3. Seja espiritualmente saudável

“Não sejas sábio aos teus próprios olhos; teme ao Senhor e aparta-te do mal; será isto saúde para o teu corpo e refrigério, para os teus ossos” (Pv 3.7-8). “Ler é para o espírito o que a ginástica é para o corpo”, já dizia Joseph Eddison, escritor inglês do século 18. Isso vale ainda mais para a leitura da Bíblia. Ler e estudar a Palavra de Deus fazem para a alma o que o esporte e a ginástica fazem pelo corpo. Já que alma e o corpo estão em uma relação íntima, a saúde espiritual muitas vezes também se reflete no corpo físico. Quando a alma adoece, o corpo adoece também, e vice-versa. O apóstolo João escreve acerca dessa ligação entre corpo e alma: “Amado, acima de tudo, faço votos por tua prosperidade e saúde,assim como é próspera a tua alma” (3 Jo 2).

Na Medicina sabe-se hoje que pressões emocionais como estresse, pecado, raiva, preocupação ou falta de perdão podem causar doenças físicas, e que em sentido inverso, a cura dos conflitos emocionais pode contribuir para a cura do corpo. Isso obviamente não quer dizer que pessoas felizes e espiritualmente saudáveis não fiquem doentes. Outros fatores também desempenham seu papel, como os genes, o ambiente, acidentes, contágio, etc.

Mas o que está se confirmando cientificamente e é cada vez mais pesquisado em termos de saúde é o que a Bíblia já nos ensina há muito tempo. Ter paz com Deus e segui-lO de todo o coração é melhor do que “espertos” conselhos humanos acerca de aptidão física com que nos defrontamos diariamente e que movem um mercado milionário. “Não sejas sábio aos teus próprios olhos”.

Tanto dinheiro é gasto com vitaminas, suplementos alimentares, dietas e terapias. Nem sempre isso é necessariamente mau, mas podemos nos perguntar se uma vida no temor de Deus não traria proveito maior para o corpo, a alma e o espírito. Nesse contexto gostaria de citar a Romanos 12.1-2: “Portanto, irmãos, rogo-lhes pelas misericórdias de Deus que se ofereçam em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus; este é o culto racional de vocês. Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” (NVI).

Provérbios 4.22 diz acerca dos ensinamentos de Deus: “Porque são vida para quem os acha e saúde, para o corpo”. E Paulo escreve: “Pois o exercício físico para pouco é proveitoso, mas a piedade para tudo é proveitosa, porque tem a promessa da vida que agora é e da que há de ser” (1 Tm 4.8).

4. Lide espiritualmente com as coisas materiais

“Honra ao Senhor com os teus bens e com as primícias de toda a tua renda” (Pv 3.9). Martim Lutero teria dito: “Segurei muitas coisas com as mãos e perdi todas elas. Mas ainda possuo tudo que depositei nas mãos de Deus!”.

“Honra ao Senhor com os teus bens e com as primícias de toda a tua renda” (Pv 3.9).

Provavelmente não existe nada melhor para se reconhecer o que domina numa vida do que a maneira de lidar com suas posses. É o Espírito Santo quem manda, ou é a carne? É o Espírito ou a avareza? É dar ou receber? É doar ou manter? São as primícias ou o restolho? Paulo descreve muito bem como se manifesta a direção do Espírito em coisas materiais no testemunho que dá acerca das igrejas da Macedônia (das quais fazia parte também a igreja de Tessalônica), dizendo que os crentes de lá deram até “acima de suas posses” “não somente fizeram como nós esperávamos, mas também deram-se a si mesmos...” (veja 2 Co 8.1-8).

Os tessalonicenses tinham se convertido radicalmente a Jesus Cristo. Paulo diz que seu testemunho era bem conhecido e todos sabiam que eles haviam se convertido dos ídolos para se voltar para Deus e para servi-lO, e que viviam na expectativa da volta do Senhor (1 Ts 1.9-10). Bem se vê que dessa grande virada fazia parte a conversão de suas carteiras, uma vez que a avareza também é idolatria (Cl 3.5).

William MacDonald escreve acerca do comportamento de muitos cristãos de hoje: “Admitindo que uma piedosa busca pelo lucro tenha a ver com a bênção de Deus, nos rebaixamos a ponto de adorar o dinheiro”.[1] Randy Alcorn traz um exemplo muito impressionante do quanto são passageiras as coisas que muitas vezes nos custam tanto dinheiro:

Como podemos transmitir a nossos filhos de forma direta e convincente todo o vazio do materialismo? Tente levá-los a uma excursão por um ferro-velho ou a um aterro sanitário. Isso pode se tornar um verdadeiro evento familiar. (As filas são menores do que nos parques de diversões, a entrada é franca e os meninos adoram!) Mostre-lhes todas as montanhas de “preciosidades” que um dia foram presentes de Natal ou de aniversário. Mostre coisas que custaram centenas de reais, coisas pelas quais seus filhos brigaram, coisas que destruíram amizades, que sacrificaram a honestidade e fizeram casamentos desmoronar. Mostre a eles a miscelânea de braços e pernas e restos de bonecas, robôs enferrujados e aparelhos elétricos jogados fora depois de uma breve vida útil. Mostre-lhes que a maioria das coisas que uma família possui, cedo ou tarde, acabará num lixão igual a esse. Leia 2 Pedro 3.10-14 onde está escrito que tudo se queimará no fogo. E então faça a impressionante pergunta: “Se tudo o que possuímos acaba jogado aqui, inútil e estragado, o que podemos adquirir que permaneça por toda a eternidade?”.[2]

Outra pessoa se expressou assim: “Todo bem material pode ser transformado em um tesouro que dura para sempre porque tudo o que dermos a Cristo se torna eterno”. Talvez pouparíamos muito dinheiro na oficina mecânica, na reforma da casa ou em outras despesas, se seguíssemos a regra de buscar em primeiro lugar o reino de Deus e a Sua justiça. Dar é melhor que receber, diz a Bíblia, e essa máxima continua plenamente válida.

5. Aceite a disciplina

"Filho meu, não rejeites a disciplina do Senhor, nem te enfades da sua repreensão. Porque o Senhor repreende a quem ama, assim como o pai, ao filho a quem quer bem"
(Pv 3.11-12).

Esses versículos também são mencionados em Hebreus 12.5ss. e Apocalipse 3.19, sempre em imediata relação com o amor do Pai celestial. Disciplina e repreensão podem servir a propósitos diversos.

A disciplina divina pode ser uma medida para levar as pessoas a se converter a Jesus. Muitas só percebem que precisam de Deus e se abrem para Ele quando estão em apuros.

Disciplina também pode ser uma medida contra o pecado, para corrigir um filho de Deus, para conduzi-lo ao arrependimento e protegê-lo de cair.

Existe a possibilidade de o Senhor fazer uso do recurso da disciplina ou da advertência para que a graça de Deus se manifeste ainda mais abundantemente. Isso aconteceu com o apóstolo Paulo em 2 Coríntios 12.7ss., onde vemos que ele foi protegido da soberba, sofrendo para que se mantivesse humilde. Deus se agradava de Paulo e queria mantê-lo nessa condição; para tanto, usou do recurso de permitir coisas desagradáveis em sua vida.

Não devemos colocar a disciplina e a admoestação sempre no mesmo nível do castigo e da ira de Deus que nos açoita. O texto acima não diz que Deus disciplina alguém de quem Ele não se agrada, mas é justamente o contrário que acontece: Ele disciplina o filho a quem quer bem. Nesse tipo de disciplina, o que está em ação é a pedagogia amorosa do Pai celestial perfeito, é a correção prática para nos manter no caminho e para nos levar adiante, já que Ele tem um alvo maravilhoso preparado para nós.

6. Seja prudente

“Filho meu, não se apartem estas coisas dos teus olhos; guarda a sabedoria e o bom siso” (Pv 3.21). 

Com esse conselho espiritual, Salomão tinha em mente o que acabara de dizer. Ele havia falado da preciosidade da sabedoria divina. Por Sua sabedoria Deus criou e manteve os céus (vv.13-20). Assim, a sabedoria divina está subjacente a todas as coisas da vida – incluindo a salvação por Jesus Cristo, como já sabemos. Portanto, somente nos resta uma conclusão: a sabedoria divina, que vem de Sua Palavra e é inspirada pelo Espírito Santo, é a melhor sabedoria que alguém pode alcançar e que deveria almejar antes de qualquer outra coisa.

Mais do que nunca, são necessárias pessoas aptas a dar bons conselhos, que com tato e amor tomem os outros pela mão para conduzi-los a Jesus e à vida eterna.

Deus tornou louca a sabedoria deste mundo porque ela está voltada apenas para o aqui e agora e não para a eternidade. Em contrapartida, Deus faz uso da “loucura da pregação” para salvar os homens (veja 1 Co 1.20-21). O Santo Espírito de Deus mostra que mesmo a “loucura” de Deus (que na realidade não existe) ainda é muito superior à sabedoria deste mundo. Nós, cristãos, não devemos nunca perder de vista essa perspectiva, especialmente diante das milhares de opções que o mundo nos oferece. A supremacia e a superioridade da sabedoria divina deveriam nos nortear sempre.

Um conhecido psicanalista, psicoterapeuta e médico disse: “Em mais de mil horas de análise, com a ajuda do analista, tentei me transformar e me realizar... Meu alvo principal – conseguir amar profundamente, de verdade – não foi tocado nem de leve. Somente quando me abri para o amor de Deus senti que me tornei capaz de amar de forma desapegada” (Dr. Markus Bourquin).

7. Seja generoso

Devemos ajudar a quem realmente precisa. Não devemos dar sem razão, mas fornecer suporte efetivo para quem de fato necessita.

“Não te furtes a fazer o bem a quem de direito, estando na tua mão o poder de fazê-lo. Não digas ao teu próximo: Vai e volta amanhã; então, to darei, se o tens agora contigo” (Pv 3.27-28). Isso nos lembra das palavras de Jesus: “Dá a todo o que te pede; e, se alguém levar o que é teu, não entres em demanda” (Lc 6.30).

Uma das mais gratas lembranças que tenho de Wim Malgo, o fundador da nossa missão, era sua generosidade e sua alegria em dar e ajudar. Onde ele via alguma necessidade, reagia prontamente e ajudava, e o Senhor o abençoou muito.

Vez por outra ouve-se dizer que é tolice emprestar alguma coisa para um pobre, já que ele não poderá devolver o empréstimo. A Bíblia nos ensina que devemos contar com essa possibilidade, e ajudar mesmo assim. Pois segundo os versículos 27 e 28, três coisas devem ser observadas:

“Não te furtes a fazer o bem a quem de direito...” Devemos ajudar a quem realmente precisa. Não devemos dar sem razão, mas fornecer suporte efetivo para quem de fato necessita.

“...estando na tua mão o poder de fazê-lo.” Devemos ajudar de forma a manter a visão do todo e na medida do que podemos suportar materialmente. Não faz sentido servir de fiador ou doar tanto a alguém ou a alguma organização a ponto de nós mesmos ficarmos necessitados. Não é correto emprestar e depois pedir emprestado.

“Não digas ao teu próximo: Vai e volta amanhã; então, to darei, se o tens agora contigo.”Onde podemos ajudar, deveríamos fazê-lo logo e não deixar nosso próximo esperando pelo cumprimento da nossa promessa. Ajuda não deve ser negada nem protelada com desculpas piedosas (veja Tg 2.15-16).

8. Seja sincero

“Não maquines o mal contra o teu próximo, pois habita junto de ti confiadamente. Jamais pleiteies com alguém sem razão, se te não houver feito mal” (Pv 3.29-30). Esse conselho é especialmente significativo na convivência familiar, por exemplo no casamento, com os pais, os sogros, os parentes que moram na mesma casa. Perfídia, inveja, intriga, fofoca, acusação... tudo isso repugna ao Espírito Santo. Obviamente essa regra espiritual também se aplica à convivência na comunhão da igreja. O Novo Testamento diz: “Se possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens” (Rm 12.18).

9. Tenha discernimento

Se um pedaço de ferro pudesse falar, o que diria? Ele diria: ‘Eu sou escuro, eu sou frio, eu sou duro’. Bem verdade! Mas coloque esse pedaço de ferro no fogo e espere um pouco, até que o fogo tenha demonstrado seu poder. O que ele diria agora? A escuridão se foi, o frio se foi, a dureza se foi, o ferro passou por uma transformação.

Muitos cristãos admiram o sucesso dos que o conseguiram por meios ilícitos ou duvidosos, invejam suas conquistas, sua influência e seu reconhecimento. Também olham para personalidades duvidosas do mundo do cinema ou da música e desejam um naco de sua “sorte”. Nos filmes e na televisão, essas celebridades são heróis, mas vivem cometendo adultério, trocando de parceiro, praticando violência, enganado os outros ou falando contra Deus.

William MacDonald escreve: “Nos tornamos vítimas entusiasmadas de programas televisivos imbecis ... De bom grado permitimos ser ‘prensados dentro do formato deste mundo’ (Rm 12.2), assumimos sua maneira de falar, de se divertir e de pensar”.[1] Não deveríamos admirar a prosperidade daqueles que não buscam um relacionamento com o Senhor Jesus,“porque o Senhor abomina o perverso” (v.32) e “as más conversas corrompem os bons costumes” (1 Co 15.33; veja também Fp 3.18-19).

Lemos sobre os nove aspectos do fruto do Espírito: “Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei. E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e concupiscências. Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito. Não nos deixemos possuir de vanglória, provocando uns aos outros, tendo inveja uns dos outros” (Gl 5.22-26).

Muitos podem estar se perguntando como se transforma isso em prática de vida. C.H. Spurgeon nos fornece uma boa diretriz nesse sentido:

Se um pedaço de ferro pudesse falar, o que diria? Ele diria: ‘Eu sou escuro, eu sou frio, eu sou duro’. Bem verdade! Mas coloque esse pedaço de ferro no fogo e espere um pouco, até que o fogo tenha demonstrado seu poder. O que ele diria agora? A escuridão se foi, o frio se foi, a dureza se foi, o ferro passou por uma transformação. Mas se esse pedaço de ferro pudesse falar, com certeza não iria louvar a si mesmo, uma vez que ferro e fogo são duas coisas bem distintas. Se ele pusesse se gloriar, iria se gloriar do fogo, que o transformou em um material bem diferente. – Assim, em mim mesmo eu sou escuro, frio e duro; mas quando o Senhor toma posse de minha alma, quando Seu Espírito penetra em meu coração e fico repleto do Seu amor, então vai embora tudo que é tenebroso, toda a dureza e toda a frieza, e mesmo assim a honra não cabe a mim, mas ao Senhor que fez a obra.

Quem se entrega incondicionalmente ao Senhor experimentará transformação.

Autor: Norbert Lieth

terça-feira, 8 de abril de 2014

Noé: O Pior Filme Bíblico de Toda a História

Neste final de semana resolvi ir ao cinema para assistir o tão esperado filme "Noé" lançado no ultimo dia 03/04/2014 no shopping Palladium de Curitiba. Maior não poderia ser a minha decepção com a história distorcida, misturada com satanismo e um monte de outras coisas. Passendo pela internet, me deparei com um texto extraordinário, que conta a ridícula história fantasiada por seu autor e com comentários que tanto quanto ela (Vanessa Lampert) aprovo e compartilho aqui no meu blog.

Eis pois o texto:


"Traída por um trailer. Foi assim que me senti durante a exibição de “Noé”, do cineasta Darren Aronofsky.
Quando vi o trailer, fiquei maravilhada. Os efeitos especiais, o clima da época, a cena em que o líder dos inimigos diz a Noé: “ Tenho soldados à minha disposição e você sozinho me desafia?” Então, Noé, confiante e tranquilo, responde: “Eu não estou sozinho.” – Uau! Há muito tempo esperava uma superprodução das histórias maravilhosas do Antigo Testamento. Com os recursos que temos atualmente, daria para fazer cenas grandiosas. Mas…era tudo falso, meus amigos. Cada cena daquele trailer foi cuidadosamente montada para enganar a mim e a você.
Não é nem questão de o filme não ser fiel à Bíblia apenas. É muito pior do que isso. Ele simplesmente conta outra história. Se fosse considerar esse filme realmente como uma interpretação do texto de Noé, eu diria que é uma versão satanista. E olha que não sou adepta de teorias conspiratórias, e não saio por aí chamando qualquer coisa de satanista.
Segundo o filme, quando o Criador expulsou o homem do Paraíso, após Adão e Eva terem desobedecido, um grupo de anjos, que sabia que havia algo de bom no homem (afinal de contas, era a imagem do Criador), ficou com pena da humanidade e resolveu descer para ajudar. O Criador, intolerante, entendeu como traição e puniu aqueles anjos, condenando-os a morarem na Terra, amaldiçoados.
Eles eram luz, mas a partir deste momento, se tornaram gigantes de pedra, fisicamente deformados e tortos (algo como um cruzamento dos Etes, do Senhor dos Anéis, com o monstro de pedra, de História sem Fim e algum parentesco com um monstro de lava – todos em grave estado de desnutrição e com problemas sérios de coluna), mas ainda gente boa. Ensinaram ao homem tudo o que sabiam a respeito da Terra, porque eram bonzinhos e queriam ajudar. Se tornaram os Guardiões e acolheram os filhos de Caim. Só que foram traídos e desprezados pelos homens, que desvirtuaram o que aprenderam.
Siiim, meus amigos, os demônios, segundo esse filme, são apenas seres bem intencionados que queriam ajudar… Na verdade, em todo o filme, os únicos personagens que despertam alguma empatia no público são esses anjos caídos. Estranho, não? A gente chega a sentir pena deles, pois parecem injustiçados. São bons e simpáticos. Você percebe neles respeito por Deus (!!) e os homens os chamam de “servos do Criador”. Essa perspectiva e a distorção do caráter de Deus, do porquê ele escolheu Noé e a distorção do caráter dos próprios demônios (que, na verdade, caíram porque foram egoístas e orgulhosos, nunca tentaram ajudar ninguém), faz com que eu desconfie seriamente que o filme foi inspirado por um demônio que queria se autopromover.
Como não se trata do Noé que a gente conhece, vou chamá-lo de “Nãoé”.  No início do filme, os filhos de Caim matam o pai do pequeno Nãoé e roubam uma pele de cobra que ele usava para fazer um ritual de “transferência do direito de primogenitura”, algo como tornar-se protetor do meio-ambiente. Os filhos de Caim são malvados porque exploraram os recursos naturais até que a terra se tornasse árida, comem carne, vivem como seres bestiais famintos (isso eu não entendi. O lugar não tem vegetais e os carnívoros é que passam fome?) e não têm educação.
Um dia, Nãoé sonha com gente morta debaixo dágua e entende que o Criador destruirá o mundo. Sabe que tem que fazer alguma coisa, mas não sabe o quê. Como viu também no sonho a montanha em que mora (sozinho) o avô Metusalém, segue para lá com a família. No caminho, encontra um vilarejo destruído e uma menina ferida, Illa, quase da idade de seu filho Sem (todos os filhos de Nãoé são pequenos). Adota a menina. Na estrada, também encontram os demônios gigantes de pedra com problemas de coluna. Desconfiadas, as criaturas não aceitam ajudar a família e deixam todos em uma vala. No entanto, um gigante com cara de dó volta durante a madrugada para ajudá-los a escapar e segue com eles até a montanha.
Vovô Metusalém é uma espécie de bruxo ou xamã. Dá um chazinho alucinógeno para Nãoé, que vê a arca. (Não é Deus que fala com Noé, é o alucinógeno de Metusalém.) Ele também dá uma semente mágica do Éden a Nãoé, que a planta na terra seca. Essa semente é tipo um feijão mágico vitaminado. Quando os outros demônios vêm levar o demônio traidor, entendem que Nãoé realmente falou com o Criador e resolvem ajudar. Uma floresta cresce em cinco minutos (super feijão mágico) e Nãoé vê ali a madeira para a sua arca. Mãos à obra! A família começa o trabalho, mas quem realmente faz a arca é o diabo e os demônios! Em dez anos, concluem o trabalho. (Na Bíblia levou cem anos, mas no filme, com a ajuda dos demônios, apenas dez.)
Nãoé se convence de que nenhum humano merece viver, nem mesmo sua família. Começa a se tornar egoísta e fanático. Se despersonaliza e agora acredita que a missão deles é salvar os animais, que são inocentes, e manter a Terra limpa dos humanos. Humanos, a sujeira do universo. Ele não é escolhido pelo criador por ser bom, mas por ser obsessivo o suficiente para completar a tarefa. Enquanto no original:
“Disse o SENHOR a Noé: Entra na arca, tu e toda a tua casa, porque reconheço que tens sido justo diante de Mim no meio desta geração.”(Gênesis 7.1)
.
O filme tenta distorcer a noção de “justo” e “justiça”, usando essas palavras fora de contexto diversas vezes, para tentar transformar Noé e Deus em algo que eles nunca foram. Imagino que possa causar confusão na mente de pessoas que não têm muita noção de quem Deus é e se sentem perdidas em um mundo com tanta maldade e injustiça. Sutilmente elas serão levadas a uma interpretação distorcida da mensagem original.
Arca pronta, os animais começam a entrar e são colocados para dormir com uma fumaça-sonífero. Aí, vamos ao anticlímax total: lembra daquela cena do Trailer? Aquela que eu achei superforte, em que o líder dos inimigos diz a Noé: “Tenho soldados à minha disposição e você sozinho me desafia?” Então, Noé, confiante e tranquilo, responde: “Eu não estou sozinho”.
Pois é…no trailer parecia que ele estava falando de Deus. No filme, quando ele diz isso…adivinha? Se levantam atrás dele todos aqueles demônios de pedra. Só pode ter sido de propósito. Quem quer que tenha montado aquele trailer estava realmente a fim de fazer uma piadinha de mau gosto.
Nem a narrativa presta. O filme tem muitas cenas inúteis e sem noção. Por exemplo, em um momento que deveria ser tenso, quando Cam foge para procurar uma esposa justo na hora de fechar a arca, Illa (namorada/esposa/irmã adotiva de Sem) sai atrás de Cam e encontra o vovô Metusalém na floresta. Ele dá um passe que a deixa com dor de barriga e meio ninfomaníaca. O mundo está acabando, mas Ila ataca Sem no meio do caminho, totalmente sem noção do momento ideal (e do local apropriado) para se fazer as coisas (sério, ela começa a beijar ele e você entende que vão tirar a roupa ali mesmo…).
O diabo (líder dos demônios) morre defendendo a arca, pede ao Criador que o perdoe, vira novamente um anjo luminoso e vai para o céu (momento piada que me fez rir), enquanto o outro (que tem cara de coitadinho) diz, com voz abobalhada: “o Criador levou ele para casa!” Então…todos eles querem defender a arca para serem levados de volta para o céu…e, de fato, são. Quer dizer, o diabo é bom, Deus não está nem aí para ninguém (além de ser psicopata, está muito, muito longe. Não dá para contar com Ele) e o homem é que é ruim. No filme, não tem como se livrar do mal, pois ele está dentro do ser humano. A saída? Não dá para entender racionalmente, não. Tem a ver com amor-sentimento e se deixar levar pelo coração. Bela pregação do inferno e completamente contrário ao que a gente acredita.
Dentro da arca, a família infeliz ouve os gritos das pessoas lá fora e insiste com Nãoé para resgatá-las, pois são pobres pessoas inocentes e famintas (manipulação emocional descarada).
“Viu o SENHOR que a maldade do homem se havia multiplicado na terra e que era continuamente mau todo desígnio do seu coração” (Gênesis 6.5)
Ou seja, não eram homens famintos buscando comida. Não eram pessoas inocentes, coitadinhas, ignorantes cujo maior erro era comer animais. Não eram pobres criaturas injustiçadas. Era continuamente mau todo desígnio do seu coração. Todo desígnio do coração. De todo mundo, exceto Noé. Como eles iam se arrepender? Como poderiam mudar se não conseguiam enxergar seu erro?
E, versículos 7 a 9:
“Então, se arrependeu o SENHOR de ter feito o homem na terra, e isso Lhe pesou no coração. Disse o SENHOR: Farei desaparecer da face da terra o homem que criei, o homem e o animal, os répteis e as aves dos céus; porque me arrependo de os haver feito. Porém Noé achou graça diante do SENHOR. Eis a história de Noé. Noé era homem justo e íntegro entre os seus contemporâneos; Noé andava com Deus.”
A ideia não era extinguir o homem, mas começar de novo. Deus escolheu Noé porque ele era diferente do restante da humanidade. E decidiu destruir o resto porque, entenda: pessoas vivendo na maldade e na injustiça já estavam mortas diante dEle. Apenas oficializaria sua condição.
Algum tempo depois, Ila descobre que está grávida ao cuspir em uma folhinha mágica…tipo um teste de farmácia pré-diluviano…hahaha… O problema é que Nãoéestá convencido de que o criador quer exterminar sua família (Nãoé não leu a Bíblia). A notícia estraga o plano perfeito para a extinção da humanidade. Ele fica revoltado e tem mais um surto psicótico. Acredita que o Criador quer que ele mate o bebê, se for menina, para evitar que faça mais homenzinhos.
Obviamente, como o leitor já adivinhou, vai ser menina. Mas a partir daí o filme vira um dramalhão mexicano, com tentativas de manipulação emocional e tom sombrio, com Nãoé piradão andando pela arca com cara de psicopata e sua esposa magoada e histérica. Não há fé ou demonstrações de grandeza interior. E o Deus do filme é totalmente ausente, omisso, intolerante e cruel. Mais ou menos o que pensam dEle os que interpretam a Bíblia de modo raso e infantil.
Resumindo, Illa entra em trabalho de parto e tem gêmeas. Na hora em que vai esfaquear a cabeça das criancinhas, Nãoé sente amor no coração e o amor vence o ódio. O ódio, no caso, era a ordem do “criador”. Quando resolve desobedecer,Nãoé consegue ser sensato. (oi?)
Mesmo com o conflito resolvido, ao sair da arca, ninguém mais é feliz, nem inocente. Todo mundo matou ou pensou em matar. Não fala de aliança entre Deus e a humanidade, a mensagem original não é passada, o sentido original é distorcido. A história linda descrita nos capítulos 6, 7, 8 e 9 de Gênesis foi transformada em uma palhaçada. Gastaram milhões para enganar os espectadores e fazer uma babaquice pior do que Transformers. Mas dá dinheiro, e isso é o que Hollywood quer. Em um mundo onde o ceticismo burro impera e é fora de moda dizer que acredita em Deus, “Noé” consegue a proeza de enganar cristãos e ateus. Os primeiros, vão assistir por achar que é um filme espiritual. Os outros, vão assistir achando quenão é espiritual.
O filme termina, sem que você tenha muita ideia de qual foi a intenção. Um sermão ecológico sobre não destruir os recursos naturais e se manter vegano mesmo no deserto? Uma discussão existencialista sobre “o ser humano merece viver?” Um filme de ficção com batalhas sem graça e personagens rasos? Um filme de terror com sangue espirrado, corpos em estado de putrefação e homens bestializados matando e morrendo por fome? Uma novela mexicana?
Um filme sem graça e mal escrito, pesado e arrastado, com personagens rasos e histórias ridículas. Há quebra de ritmo em diversos pontos e o personagem principal fica doido de uma hora para outra. É risível. Meu marido comentou que apenas dois filmes fizeram com que ele tivesse vontade de sair do cinema antes de terminar. Noé e “The Fountain”. Por coincidência, ambos de Darren Aronofsky. Cansativos, pretensiosos, arrastados, emocionalmente carregados e com tendências ecologico-newage-existencialistas.
O “Noé” do filme não tem nada a ver com o personagem original; o Deus do filme não tem nada a ver com o Deus da Bíblia, a história do filme não tem nada a ver com a história da Bíblia. O roteiro é tão ruim que precisou de um trailer-isca para enganar os incautos. Quero ver se pegassem um livro do Tolkien e fizessem uma distorção desse nível. A essa altura você teria uma porção de nerds dilacerando o roteirista e organizando boicotes em massa. Nunca mais o estúdio se atreveria a fazer algo parecido. O pessoal já ficou indignado porque no segundo filme do “Hobbit” acrescentaram uma personagem que não existia no livro! Imagina se alterassem toda a história, personalidade e caráter de absolutamente TODOS os personagens? O trabalho foi malfeito, mesmo. Eu me senti enganada, traída e assaltada.
Para mim, o verdadeiro roteirista desse filme (por trás do ser humano) foi o mesmo espírito que falou com o amigo perturbadinho de Jó…
“Uma palavra se me disse em segredo; e os meus ouvidos perceberam um sussurro dela. Entre pensamentos de visões noturnas, quando profundo sono cai sobre os homens, sobrevieram-me o espanto e o tremor, e todos os meus ossos estremeceram.Então, um espírito passou por diante de mim; fez-me arrepiar os cabelos do meu corpo; parou ele, mas não lhe discerni a aparência; um vulto estava diante dos meus olhos; houve silêncio, e ouvi uma voz: Seria, porventura, o mortal justo diante de Deus? Seria, acaso, o homem puro diante do seu Criador? Eis que Deus não confia nos seus servos e aos seus anjos atribui imperfeições; quanto mais àqueles que habitam em casas de barro, cujo fundamento está no pó, e são esmagados como a traça! Nascem de manhã e à tarde são destruídos; perecem para sempre, sem que disso se faça caso. Se se lhes corta o fio da vida, morrem e não atingem a sabedoria.” (Jó 4.12-21)
E:
“Que é o homem, para que seja puro? E o que nasce de mulher, para ser justo? Eis que Deus não confia nos seus santos; nem os céus são puros aos Seus olhos, quanto menos o homem, que é abominável e corrupto, que bebe a iniquidade como a água!” (Jó 15.14-16)
.
Esse é o espírito que ajudou a escrever o roteiro de “Noé”. Não é um raciocínio muito semelhante? A forma de distorcer as coisas, dizendo que o diabo não é mau, Deus é que atribui imperfeição a tudo! E o ser humano é um nada, pó, ridículo e desprezível. Essa é a visão do diabo, não de Deus.

O objetivo de Deus sempre foi conseguir uma forma de redimir a humanidade, a quem Ele ama e sempre amou. O diabo nos despreza e sente profunda inveja porque Deus deu ao homem o privilégio de ser chamado Seu filho e de cuidar de tudo o que Ele fez. Se alguém tivesse clamado, querendo ouvir a Deus, como o chefe malvado fez em certo momento do filme, certamente ele não teria ficado de fora.
“Desviando-se o justo da sua justiça e praticando iniquidade, morrerá nela. E, convertendo-se o perverso da sua perversidade e fazendo juízo e justiça, por isto mesmo viverá.” (Ezequiel 33.18,19)
O filme não mostra as falas maravilhosas de Deus, seu amor pela humanidade, sua misericórdia, sua aliança com Noé… além de destruir a imagem de Deus e o que Ele pensa da humanidade, faz parecer que obedecer a Deus é algo ruim, que transforma homens pacatos em psicopatas…
Espero que esse texto ajude a evitar que você gaste seu suado dinheirinho com algo que não vale nem um centavo, principalmente por passar uma mensagem mentirosa. E espero que evite que você gaste duas horas e meia de sua vida com uma bobagem desse nível. O alerta é para que ninguém mais seja enganado como eu fui. Há uma diferença enorme entre um filme que assume que é mera ficção, fantasia, e um filme que finge ser uma coisa no trailer e é outra na exibição.